10 Outubro 2017

Conheça local onde João Batista teria começado sua missão

Fomos até Taffuh, na região de Hebron. Lugar onde o precursor de Jesus possivelmente esteve antes de ir para o deserto.

Arqueologia, Cultura, e outras religiõe

Loading the player...
Embed Code  

Solicite Vídeo de Alta Qualidade
Copy the code below and paste it into your blog or website.
<iframe width="640" height="360" src="https://www.cmc-terrasanta.org/embed/conheca-local-onde-joao-batista-teria-comecado-sua-missao-13604"></iframe>
Solicite Vídeo de Alta Qualidade
Por favor, envie um email para :
info@cmc-terrasanta.org

Assunto: Pedido de Vídeo de Alta Qualidade

Mensagem:
Arquivo Pessoal / promoção CMC / TV Broadcasting

http://cmc-terrasanta.com/pt/video/arqueologia-cultura-e-outras-religioe-8/conheca-local-onde-joao-batista-teria-comecado-sua-missao-13604.html

Nenhuma parte deste vídeo podem ser editadas ou disseminada sem um acordo com antecedência com o Christian Media Center acordarem os termos e condições de publicação e distribuição.
Diversos locais na Terra Santa são associados à vida de São João Batista. Destaque pra Aim Karem, sua pátria, e para o Rio Jordão, onde o próprio Jesus se dirigiu pra ser batizado.

Existe, no entanto, outro importante lugar relacionado à figura do Precursor de Jesus.

A parte meridional da Cisjordânia corresponde a Tribo de Judá ou Judéia, cuja capital era Hebron, onde estamos agora. Hebron, junto a Bersabeia, mais ao sul, è onde ficavam as principais residências de Abraão.

Região onde João Batista teria iniciado sua missão.

Região onde João Batista teria iniciado sua missão. Na pequena cidade de Taffuh, há pouco mais de 70 anos, foi redescoberto o local que recebeu o nome de “Ain el-Ma'moudiyeh” ou traduzindo do árabe, Fonte Batismal.

BERTRAND RIBA
Arqueólogo responsável local
“Esse batistério chamou minha atenção de imediato porque é o mais profundo da Palestina. E existe outro monumento associado a ele. Trata-se de uma igreja, de uma construção monástica... e todo um complexo ainda está por ser descoberto (…). Trata-se de sítios arqueológicos inéditos e raros nessa região”.

Padre Eugênio Alliata, ofm
Arqueólogo Studium Biblicum Franciscanum
“Pequena, a Igreja tem uma cuba com degraus… è profunda o suficiente para que as pessoas pudessem ser imersas. Por isso o local passou a ser chamado de “Moudiyeh”, que significa lugar da imersão.

Os restos arqueológicos encontrados nos arredores correspondem, no entanto, a diferentes períodos históricos.

JERÔME HAQUET
Arqueólogo
“O muro que voces veem atrás de mim è medieval do período cruzado. Esta parte foi reconstruída pelos cruzados no século 12. As escavações mostram que também ocorreu ocupação bizantina aqui, como pode ser visto no pavimento de mosaico dentro e fora do edifício”.

BERTRAND RIBA
Arqueólogo responsável local
“Será que o mosteiro que estamos descobrindo foi construindo sobre um lugar onde uma tradição já existia ou será que o mosteiro deu a luz a essa tradição para aumentar seu prestígio e atrair peregrinos que caminhavam entre o mar e Hebron?”

Padre EUGÊNIO ALLIATA, ofm
Arqueólogo Studium Biblicum Franciscanum
“Os restos conservados em Moudiyeh são mais antigos do que o período no qual os peregrinos começaram a recordar a presença de São João Batista neste lugar deserto… Pode ser que já na antiguidade tenha começado esta recordação que tenha encontrado depois expressão nos viajantes, até mesmo franciscanos, dos séculos 14 e 15”.