12 Fevereiro 2018

Hospital em Jerusalém é exemplo da vocação materna da Igreja

Na memória de Nossa Senhora de Lourdes (11 de fevereiro), celebra-se o Dia Mundial do Enfermo. Em Jerusalém, um hospital expressa a missão da Igreja com os doentes.

Atualidade e Eventos

Loading the player...
Embed Code  

Solicite Vídeo de Alta Qualidade
Copy the code below and paste it into your blog or website.
<iframe width="640" height="360" src="https://www.cmc-terrasanta.org/embed/hospital-em-jerusalem-e-exemplo-da-vocacao-materna-da-igreja-14361"></iframe>
Solicite Vídeo de Alta Qualidade
Por favor, envie um email para :
info@cmc-terrasanta.org

Assunto: Pedido de Vídeo de Alta Qualidade

Mensagem:
Arquivo Pessoal / promoção CMC / TV Broadcasting

http://cmc-terrasanta.com/pt/video/atualidade-e-eventos-1/hospital-em-jerusalem-e-exemplo-da-vocacao-materna-da-igreja-14361.html

Nenhuma parte deste vídeo podem ser editadas ou disseminada sem um acordo com antecedência com o Christian Media Center acordarem os termos e condições de publicação e distribuição.
Diante do leito, a religiosa que se aproxima e leva uma palavra de ânimo e consolo. Um encontro que ultrapassa os diferentes credos e locais de origem pois a prioridade é a pessoa que necessita de atenção e cuidados. Este hospital em Jerusalém, administrado pelas Irmãs de São José da Aparição, é um dos exemplos da vocação materna da Igreja com os necessitados e doentes.

MOHAMMAD FARES ABU-SALEEM
Paciente
“Eu dou graças a Deus por tudo. A gente precisa ter paciência porque Deus criou o remédio para a doença. E esse hospital está ótimo e o modo como cuidam de nós. Fiz cirurgia e agora estou me sentindo bem e tranquilo. Na enfermidade, precisamos ter fé. É a única coisa que temos.”

Além do atendimento médico, o hospital, inaugurado em 1956, oferece cuidados e viabiliza a permissão aos familiares de pacientes provenientes de regiões palestinas para acompanharem os enfermos em Jerusalém. Atitudes de misericórdia das religiosas e profissionais, que também estão perto para escutar as necessidades, angústias e levar a esperança.

Ir. OMAIMA TAMAS
Congregação Irmãs de São José da Aparição
“Nós buscamos cuidar bem deles e, o que precisam, nós oferecemos. A gente rir junto com eles, perguntamos como estão e isso ajuda a se animarem. Precisamos dar essa atenção e dar uma palavra de conforto.”

Em Jerusalém, na Basílica do Getsêmani, ao lado do Horto das Oliveiras, o administrador apostólico do Patriarcado Latino de Jerusalém, Dom Pierbattista Pizzaballa presidiu a Missa pelo Dia Mundial do Enfermo e abençoou os doentes. Uma celebração especial no lugar, onde segundo as pesquisas, as oliveiras ali plantadas, há cerca de 800 anos, podem derivar de uma única árvore cuja semente seria proveniente de uma oliveira venerada na época como testemunha da angústia de Cristo no Getsêmani.

Em sua carta para o Dia do Enfermo de 2018, Papa Francisco destacou a missão milenar da Igreja de cuidado com os doentes, sobretudo em países onde os sistemas públicos são insuficientes. Na Terra Santa, a atenção da Igreja também acontece de forma ampla com os doentes, idosos e mais pobres. Um dever que se estende igualmente a todos os cristãos.

Dom PIERBATTISTA PIZZABALLA
Administrador Apostólico Patriarcado Latino de Jerusalém
“É muito importante que hoje a Igreja se faça sacramento do conforto e consolação, levando o óleo de nossa solidariedade e misericórdia de Deus a todos os doentes e sofredores, de toda forma possível.”