31 Maio 2016

Lançamento do livro “O Santo Sepulcro perto de casa”

Em Jerusalém foi apresentada a obra de Maria Cristina Rattighieri Johnson que fala da tradição de criar réplicas dos lugares sagrados do mundo.

Atualidade e Eventos

Loading the player...
Embed Code  

Solicite Vídeo de Alta Qualidade
Copy the code below and paste it into your blog or website.
<iframe width="640" height="360" src="https://www.cmc-terrasanta.org/embed/lancamento-do-livro-o-santo-sepulcro-perto-de-casa-10982"></iframe>
Solicite Vídeo de Alta Qualidade
Por favor, envie um email para :
info@cmc-terrasanta.org

Assunto: Pedido de Vídeo de Alta Qualidade

Mensagem:
Arquivo Pessoal / promoção CMC / TV Broadcasting

http://cmc-terrasanta.com/pt/video/atualidade-e-eventos-1/lancamento-do-livro-o-santo-sepulcro-perto-de-casa-10982.html

Nenhuma parte deste vídeo podem ser editadas ou disseminada sem um acordo com antecedência com o Christian Media Center acordarem os termos e condições de publicação e distribuição.
O Santo Sepulcro perto de casa. Este o título do livro que teve lançamento na segunda-feira, 30 de maio, no convento franciscano de São Salvador em Jerusalém. O texto, obra da italiana Maria Cristina Rattighieri Johnson, torna mais claro o hábito de se realizar reproduções dos lugares santos em várias partes do mundo.

MARIA CRISTINA RATTIGHIERI JOHNSON
Escritora
“Este livro nasceu da pesquisa pós-doutorado que realizei na universidade hebraica de Jerusalém de 2010 a 2014. Eu escolhi de modo especial as reproduções do Santo Sepulcro na minha região, a Emília-Romanha: uma se encontra em Bolonha e outra em Reggio Emília”.

PE. ATHANASIUS MACORA, ofm
Responsável franciscano pelo Status Quo
“Eu diria que este é um livro sobre os peregrinos que visitam as reproduções na Itália, pois não puderam vir aqui, mas também surgiu uma grande devoção pelo Santo Sepulcro. Estas reproduções são importantes para entendermos como era o túmulo ou a edícula antes da situação atual”.

Durante o lançamento, o custódio demissionário, Padre Pierbattista Pizzaballa, recordou as origens desta tradição. Quando cerca de mil anos atrás as viagens à Terra Santa se tornaram impossíveis devido às diferentes dominações, os frades e os peregrinos resolveram reconstruir os lugares sagrados na sua pátria para levar um pouco de Jerusalém para casa, dos Estados Unidos até várias regiões italianas.

MARIA CRISTINA RATTIGHIERI JOHNSON
Escritora
“A cópia de Bolonha é mais conhecida. É uma cópia que remonta ao ano de 1100, depois da primeira cruzada, e é a mais antiga em absoluto. Reggio Emília também está situada na via Emília, a estrada de Emílio Lépido, por isso é importante como lugar de passagem e certamente os habitantes das cidades olham para suas cópias do Santo Sepulcro com grande afeto, pois são um pedaço de Jerusalém”.

O livro, escrito em inglês e publicado pela Franciscan Printing Press, não tem apenas finalidade de divulgação, mas se propõe a sustentar alguns projetos específicos realizados pelos frades da Custódia que residem em Acri, na Galileia.

PE. QUIRICO CALELLA
Diretor Escola da Terra Santa Acri
“Ela resolveu, junto com sua família, destinar os proveitos deste livro, se houver, aos projetos da escola de São João de Acri, que é antiga, remonta oficialmente a 1620, se bem que não oficialmente a uma época ainda anterior, a 1552, aos projetos tous for center, um centro esportivo inter-religioso e à restauração dos jardins de infância.”.

O Santo Sepulcro, cujas obras de restauração se iniciaram oficialmente no domingo, 29 de maio, continua exercendo um fascínio misterioso que não conhece confins temporais nem espaciais.