15 Maio 2018

Papa Francisco convida comunicadores a promoverem Jornalismo de paz

Para a 52a Jornada Mundial das Comunicações Sociais Papa Francisco propôs o tema: “A verdade vos tornará livres” (Jo 8, 32). Fake news e jornalismo de paz”. Assunto pertinente, inclusive, na Terra Santa.

Atualidade e Eventos

Loading the player...
Embed Code  

Solicite Vídeo de Alta Qualidade
Copy the code below and paste it into your blog or website.
<iframe width="640" height="360" src="https://www.cmc-terrasanta.org/embed/papa-francisco-convida-comunicadores-a-promoverem-jornalismo-de-paz-14944"></iframe>
Solicite Vídeo de Alta Qualidade
Por favor, envie um email para :
info@cmc-terrasanta.org

Assunto: Pedido de Vídeo de Alta Qualidade

Mensagem:
Arquivo Pessoal / promoção CMC / TV Broadcasting

http://cmc-terrasanta.com/pt/video/atualidade-e-eventos-1/papa-francisco-convida-comunicadores-a-promoverem-jornalismo-de-paz-14944.html

Nenhuma parte deste vídeo podem ser editadas ou disseminada sem um acordo com antecedência com o Christian Media Center acordarem os termos e condições de publicação e distribuição.
Na mensagem para a 52a Jornada Mundial das Comunicações Sociais Papa Francisco nota se fiel ao projeto de Deus, a comunicação torna-se lugar para a construção do bem.

Hoje, porem, assistimos ao fenômeno das fake news ou das notícias falsas que acabam ganhando visibilidade.

Fr. FRANCESCO PATTON, ofm
Custódio da Terra Santa
“Claramente, os jornalistas devem prestar um serviço à verdade, devem ter a capacidade de garimparem, de serem críticos. Não podem se contentar com a primeira opinião, com o primeiro parecer, com a primeira notícia aparente. A verdade é algo que exige pesquisa, um percurso de vida, exige a busca pelo fundamento dos fatos. É fundamental que o jornalista considere sua reportagem como um serviço à verdade”.

O Papa propõe um jornalismo de paz o que não é, como ele mesmo explica, um jornalismo “bonzinho”. Reflexão pertinente, inclusive no que diz respeito aos trabalhos de comunicação da Custódia da Terra Santa

Fr. FRANCESCO PATTON, ofm
Custódio da Terra Santa
“O Papa, em sua mensagem, diz que isso não quer dizer se tornar bonzinho, ou seja, manipular o bem… mas oferecer notícias boas significa alimentar a esperança e, no caso da Terra Santa, eu diria, isso é particularmente importante. As notícias negativas, até mesmo as verdadeiras, já são feitas em abundância por todos os meios de comunicação e, até mesmo, eu diria, são as únicas pore les oferecidas”.

Entre as mídias na Custódia, a revista, o site e o Christian Media Center que cotidianamente produzem conteúdos sobre a beleza da Terra do Quinto Evangelho.

ISSA BISHARA
Jornalista Christian Media Center – Redação árabe
“Nós, como jornalistas, devemos nos concentrar em questões e notícias que servem a paz. O Papa Francisco, em seu chamado para aderir ao jornalismo de paz, reflete com profundidade sobre a importância das notícias e o papel desempenhado pelos jornalistas. Isso é fruto de sua preocupação com o sofrimento, com a perseguição dos seres humanos e com o crescimento da tirania, da intolerância e do extremismo”.

Lurdinha Nunes
Christian Media Center
“O Christian Media Center nasceu com o objetivo de contar, anunciar a Boa Nova do Evangelho e aquilo que acontece aqui. Então, além dos conflitos, dos medos, inseguranças existe uma beleza a ser mostrada, existe vida na Terra Santa e como Mons. Pierbattista Pizzaballa que era custódio da Terra Santa em 2008 e que teve essa attitude corajosa de começar o Christian Media Center diz que o CMC nasceu para contar outra história, a história da beleza dos santuários, com os peregrinos de todo o mundo, a beleza das comunidades cristãs que vivem aqui, com seus desafios, do ecumenismo, dialogo inter-religioso, uma outra história que as vezes passa despercebida devido aos conflitos, as coisas negativas”.

Na contramão das fake news, ou da propagação somente do negativo e da violência, o Jornalismo pode ser instrumento de paz e sinal de esperança!

Fr. FRANCESCO PATTON, ofm
Custódio da Terra Santa
“Acredito que seja importante para alimentar a esperança que tragamos à luz notícias que dizem respeito, até mesmo, a pequenos fatos que para as mídias normais não são importantes, mas que para nós são sinais de diálogo, de uma possível ponte que constroem. São sinal de que a paz não é somente teoria, mas que pode ser construída a partir de pequenos gestos e escolhas”.